Pompeia e Herculano

Conhecidas pela riqueza artística e beleza atemporal, as antigas cidades de Pompeia e Herculano ainda encantam turistas de todo mundo. Certamente não por acaso, essas cidades de pedras escondem segredos e historias incríveis.

As ruínas dessas civilizações de riqueza incalculável no passado, foram redescobertas ao longo dos últimos séculos… e para surpresa de muitos se apresentam intactas para contemplação histórica.

Diante da grandeza desses lugares, portanto, preparamos hoje aqui uma espécie de guia para quem pretende conhecê-los. Confira!

O que você precisa saber sobre Pompeia e Herculano – Veja um pouco da história

Antes de mais nada, precisamos ressaltar que, estamos falando aqui de duas cidades que no passado foram à ruína graças à erupção de um vulcão. Não sabia? Pois bem, nós explicamos.

Pompeia e Herculano
Pompeia e Herculano

Consideradas por muitos como donas de solo fértil e terra de prosperidade, as duas cidades foram centro de grande riqueza na região do Monte Vesúvio. Isso ocorreu particularmente no princípio do Império Romano.

Na época, pelo menos 20 mil pessoas moravam em Pompeia e outras 5 mil em Herculano, que além de tudo, era um dos principais destinos dos romanos mais abastados financeiramente.

O que nenhuma dessas pessoas imaginava, é que a terra negra e fértil dessas regiões se devia a erupções passadas do próprio Monte Vesúvio.




Isso tornou-se conhecido de todos quando já era tarde demais para aqueles que moravam no local, mais precisamente, no dia 24 de agosto, no ano 79 d.C.

Na ocasião, o Vesúvio explodiu novamente, surpreendendo todos com uma nuvem de cinzas e pedras-pomes que viria a se espalhar pelo solo.

Com dejetos vulcânicos recaindo sobre si, os moradores mais astutos empreenderam fuga da região, mas pelo menos 2 mil pessoas ficaram em Pompeia. Mesmo escondendo-se em porões e estruturas rochosas, não houve salvação. Foi o fim para elas.

Herculano e a Erupção

No fim das contas, até mesmo Herculano, que foi protegida da fase inicial da erupção por um poderoso vento, acabou sucumbindo. Quem causou maior estrago em ambas as regiões, foi o gás que atingiu a cidade e causou asfixia e queimaduras.

Os corpos foram enterrados por fluxo de rochas e cinzas, além de telhados e paredes das casas e edifícios. As cidades foram praticamente sobrepostas pelas formações rochosas.




Nos últimos três séculos, projetos de escavações e buscas por revelar de volta às cidades Pompeia e Herculano foram empreendidos por governantes italianos.

Graças a esses esforços, recuperou-se boa parte de objetos de artes valiosos e tornou-se possível visitar as ruínas desses lugares. São estes, portanto, os famosos pontos turísticos que temos hoje à disposição.

Agora que você já sabe um pouco da história, é hora de conferir o que é indispensável para qualquer turista em uma visita a Pompeia e Herculano.

O que ver em Pompeia?

Um dos pontos principais dessa região em particular é o Foro (Fórum), que é basicamente uma praça principal. Ela abriga diversas construções de teor religioso e político.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Outro ponto absolutamente interessante da região é a Casa do Fauno, que é considerada a maior propriedade particular do município. Ela ocupa nada mais, nada menos, que um quarteirão completo, recebendo esse nome por possuir uma emblemática estátua de bronze na figura de um Fauno dançante.

Outro lugar emblemático que merece atenção é o Anfiteatro, que na prática era uma espécie de “Coliseu“, inclusive anterior ao de Roma. O lugar servia de palco para combates de gladiadores e duelos contra animais ferozes.

Podemos mencionar também o Jardim dos Fugitivos (Orto dei Fuggiaschi). O conceito do lugar pode soar consideravelmente macabro para alguns, mas é fascinante para outros.




As pessoas que tentaram escapar das cinzas e foram soterradas, mantiveram posições distintas após o último suspiro. Com as escavações ao longo dos anos, o corpo de muitas das vítimas se revelou preservado. Daí o nome do Jardim.

A lista de lugares que merecem atenção na região inclui ainda Termas do Forum, Lupanar ( prostíbulo famoso da região com desenhos despudorados sobre as práticas do local ), Grande Teatro, Termas Estabianas e Vila dos Mistérios.

O que ver em Herculano?

Apesar de se tratar de uma região menor que Pompeia, Herculano também reserva uma série de riquezas culturais e históricas. As escavações por lá também revelaram a conservação de muito do que foi submerso pelos dejetos do vulcão Vesúvio.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dentre o que pode ser visitado, ganham destaque construções como Casas, termas e tabernas conservadas de maneira impecável. Além disso, podemos mencionar também os edifícios de dois andares que mantiveram o colorido de suas pinturas antes da catástrofe.

Também é possível conferir por lá algumas vilas luxuosas com visão para o mar. Entre elas vale a pena visitar a Villa de Papiros, onde sogro de Júlio César chegou a tirar férias.

Quando visitar Pompeia e Herculano? 

Ao propósito, com relação à melhor época para visitar Pompeia e Herculano, podemos destacar os meses de abril a novembro. Isso porque são os períodos em que o clima fica mais atraente.

Vale destacar que julho e agosto estão entre os mais quentes, sendo ideais para quem pretende nadar. Enquanto isso, fevereiro o mais frio. De modo geral, os piores meses para visitar a região são dezembro e janeiro.

Vale destacar, porém, que o Monte Vesúvio é o último dos vulcões ativos na Europa. Sua última erupção data de 1944, mas uma nova é esperada para o futuro. É importante ter isso em mente antes de planejar uma visita à região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: